segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Crentes fazem festas, reuniões lindas, pena q nenhuma delas fazem um ao outro se ouvirem. (Nil)

Nós somos tão motivados pela necessidade de falar, pensamos tanto sobre o que vamos falar e na melhor forma de fazê-lo que, algumas vezes, consideramos o tempo em que não estamos falando como um tempo de descanso.

São poucas as pessoas que investem na arte de escutar verdadeiramente, acolhendo aquilo que os outros estão dizendo. Muitos dominam a conversa, sem dar espaço para os demais, ou interrompendo os outros usando o que eles estão contando como ponto de partida para suas próprias histórias.

No entanto, escutar é uma forma excelente não só de aprender, obtendo informações e ouvindo experiências e pontos de vista diferentes dos nossos, como de saber como são as pessoas com quem convivemos e quais são suas expectativas e desejos.

As pessoas com especial talento para falar tendem a não ser boas ouvintes. As pessoas que têm facilidade para falar se consideram extrovertidas, enquanto os bons ouvintes têm 60% mais probabilidades de colocar-se no lugar dos outros e tentar ver as coisas a partir de seu ponto de vista.

Retirado do livro “Os 100 segredos das pessoas de sucesso” de David Niven, Editora Sextante

Texto extraido de A Corrida Fatal (The Fatal Race)

Texto extraido de A Corrida Fatal (The Fatal Race)
Veja o contraste deste tipo de corrida, com o que vemos se desenvolvendo na casa de Deus atualmente. Ontem, fui informado que um famoso pregador havia abalado os outros evangelistas de TV, porque ofereceu ainda mais dinheiro às estações de televisão para ocupar os melhores horários. Ele “aumentou o valor do prêmio”. Outro,
se gabava por estar em busca de mais estações retransmissoras, em número suficiente para lhe assegurar a ocupação de mais emissoras do que qualquer outro evangelista dos tempos modernos.

Pastores e evangelistas estão competindo para construir as maiores e mais singulares igrejas e sedes. Um ministro confidenciou-me, todo sério: “O pastor J___ está construindo uma igreja de 39.270 metros quadrados; então fiz com que o nosso arquiteto refizesse a planta e aumentasse a nossa nova igreja para 39.930 metros.
Quero a igreja com o maior número de metros quadrados do estado.”

E as multidões de crentes que agora estão presas à corrida por coisas materiais? Agora eles querem dois de tudo. Uma reserva para tudo que possuem. É quase como se estivessem tentando transformar esta carreira numa maratona de prêmios.

Esta corrida não é uma loteria para a eternidade. Não é uma competição para prosperidade, saúde, e sucesso. Se nossa fé for recompensada por qualquer coisa menor que o prêmio do alto chamamento em Cristo Jesus, então não valerá a pena se competir. Só ganha este prêmio, o filho de Deus que desejar obter nada senão mais de Jesus; é aquele que lança as coisas deste mundo aos pés da cruz, como sendo lixo sem valor - para que possa ganhar a alegria e a paz gloriosas do Salvador.

Houve um tempo em que a corrida não era para os rápidos, para os prósperos, ou para os ambiciosos - mas sim para os humildes e fracos. Houve um tempo em que a corrida levava à perseguição, privação, perda dos bens, lutas e ao martírio. Alguns competidores vestiam-se só de pele de cabras, alguns foram torturados, serrados ao meio, outros foram espancados, marcados no corpo.

A. D.

Um Sonho triste, porém real

Sonhei assim: Um dia descobria muitas vidas que estavam presas em porões e esses porões foram formados enquanto grandes templos religiosos eram levantandos, essas vidas foram sendo aprisionadas enquanto as contruçoes eram levantadas e ninguem percebia que essas vidas estavam sendo deixadas para trás, e embaixo de seus olhos.

Mas um dia elas foram descobertas, e uma grande obra começara, alimentos foram preparados, muita comida deliciosa e de grande sofisticação, mas a luta era grande, poucas pessoas ajudavam e muitas atrapalhavam, poucos obreiros ajudavam a servir, e muitas pessoas que não precisam iam para receber, elas não necessitavam daquele alimento físico, mas entravam na fila, atrapalhavam e tomavam o lugar de quem precisava. E em um momento foi preciso parar tudo, rever o que estada dando errado, era preciso repensar em um outro plano para poder alimentar aqueles que estavam no subsolo debaixo das escadas.

Não é preciso comentários para entender o que Deus está falando os crentes desta terra

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Supremacia de Deus na Pregação - Resenha

Resenha do Livro Supremacia de Deus na Pregação
Por Nilvaci B. dos S. de Oliveira

PIPER, John. Supremacia de Deus Na Pregação. Traduzido por Augustus Nicodemus Lopes. São Paulo: Shedd, 2004. pp 108.



John Stephen Piper é um escritor e ministro batista reformado, que atualmente serve como pastor sênior na Igreja Batista Bethlehem em Minneapolis, Minnesota. É muito conhecido por causa de seu livro "Desiring God". O autor conta que quando ainda jovem ao ouvir uma pregação tocou sua vida, tornando-o um pregador, posteriormente. Para ele ficou claro que a Palavra nunca volta vazia. O livro é dividido em duas partes. Na primeira baseada em estudos apresentados pelo próprio autor no Gordon-Conwell Theological Seminary, em 1988, John Piper traz argumentos a favor da presença da supremacia divina na pregação.A segunda parte da obra foi elaborada a partir de palestras em 1984 no Wheaton College. Os capítulos desta segunda parte são todos baseados nos escritos do teólogo Jonathan Edwards, em que suas idéias e pensamentos são uma grande influência na vida e nos estudos de John Piper. O autor em seu prefácio começa mostrando suas preocupações e experiências que como bom e fiel pregador da Palavra de Deus deve ter. É a grandeza da santidade de Deus que tocará o clamor secreto da alma. Piper relatar uma experiência que muito marcou sua vida lhe dando cada vez mais a certeza do seu dever de pregar a Palavra de Deus apresentando Deus em Sua essência, em Sua grandeza, em Sua santidade.
Nas palavras de Piper: “Sua tarefa como pregador não é dar ao povo conselhos moralistas ou psicológicos sobre como se dar bem no mundo, qualquer um pode fazer isso”. Pois a maioria de nosso povo, ainda ele acrescenta dizendo: “Não tem ninguém no mundo que lhes fale, semana após semana, sobre a suprema beleza e majestade de Deus”.
No primeiro capítulo da primeira parte de seu livro em: “Porque Deus Deveria Ser Supremo na Pregação e O alvo da pregação é gloria de Deus”, o autor apresenta um esboço chamado

de trinitariano que quer dizer: "que o alvo da pregação é a glória de Deus, a base da pregação é a cruz de Cristo e dom da pregação é o poder do Espírito Santo. E ainda refere-se às palavras do apóstolo Paulo em que diz: "Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. “A ele, pois, a glória eternamente (Rm 11.36)”.
Seu objetivo é sustentar a supremacia de Deus na pregação. Piper expressa sua tamanha tristeza quanto ao o que as pessoas tiram do culto hoje em dia – “a percepção de Deus, a nota da graça soberana, o tema da glória panorâmica, o grandioso objeto do Infinito Ser de Deus?”
Piper encerra este capítulo dizendo que quando Deus manda proclamar sua Palavra, seu alvo não é o de constranger o homem à submissão, por um ato de autoridade crua; seu alvo é tomar nosso afeto com Sua irresistível glória. Assim sendo, se o alvo da pregação é glorificar a Deus então é necessário ter como objetivo uma submissão prazerosa ao reino dele, e não submissão fria.
Segundo capítulo, nos fala sobre “A Base Da Pregação”, Piper adverte dos dois grandes obstáculos para alcançar este alvo de glorificar a Deus na pregação: a justiça de Deus e o orgulho do homem. Piper declara “o que em Deus é justiça, no homem é pecado.
Entretanto há como superar essas dificuldades, a Cruz de Cristo. Realmente a cruz supera todo e qualquer obstáculo que nos impeça de glorificar a Deus. A cruz valida à pregação, sem a cruz não seria possível resistir à irrepreensível Justiça de Deus. A cruz da reconciliação como se referiu o apóstolo Paulo na Carta aos Romanos (Rm 3.23-26). “Deus não seria glorificado com a felicidade de suas criaturas corrompidas”.
Somente o que foi conquistado na cruz de Cristo autoriza na pregação. A base desta proclamação é a cruz de Cristo, porque ela é o poder de Deus para crucificar o orgulho de ambos, tanto dos pregadores como da congregação. A cruz de Cristo sem dúvida não somente valida a pregação e nos habilita a proclamar Sua Verdade, como também provê um fundamento para a humildade da pregação. A cruz de Cristo sempre executará no pregador sua justiça para abater o orgulho do homem no pregador.
Piper encerra com as palavras do apóstolo Paulo que a menos que o pregador seja crucificado, a pregação será esvaziada (1 Co 1.17).
No capitulo que segue, Piper recorda sobre alguns aspectos já abordados sobre a Pregação, em que o nosso alvo constante seja a glória de Deus (capítulo 1), e que a cruz seja à base de nossa pregação e a humilhação de nosso orgulho (capítulo 2). Entretanto, Piper chama-nos a refletir em que “o trabalho soberano do Espírito de Deus deve ser o poder pelo qual tudo é alcançado”.

Nossa absoluta dependência do Espírito Santo no serviço da pregação será determinante para sua eficácia. “Pois os perigos da autoconfiança e da auto-exaltação no ministério da pregação” conforme Piper nos levará até a cruz, a fim de sermos quebrantados. Sem esta dependência em nossa pregação, não terá valor, ainda que possam admirar nossa eloqüência. Pois não devemos nos esquecer, que para alcançar êxito, que a Palavra é inspirada por Ele e dirigida na pregação por Ele. Devemos honrar a Sua obra e a Sua Palavra, mas quando simplesmente manifestamos um pensamento para igreja sem mostrarmos onde se encontra na Palavra, estamos sendo contrários a esta devida honra.
Piper não propõe que “ler outros livros e conhecer o mundo contemporâneo não seja importante”, entretanto o perigo maior é negligenciar o estudo da Bíblia. De falar sobre tudo, menos da bíblia.
“Como é possível pregar de maneira que a pregação seja uma demonstração do poder de Deus e não do seu próprio?” O autor pergunta-se e ele diz estar tentando descobrir a resposta a esta pergunta na sua própria vida e pregação. Ele expõe aqui alguns passos, porém diz ser arriscado acreditar que seja assim que se prega no poder do Espírito Santo.
Primeiro ele admite perante o Senhor sua total impotência, “Sem ti, ó Deus, serei incapaz de fazer coisa alguma”. Segundo, suplicava por ajuda. Implorava por discernimento por humildade, amor, dos quais precisava para a glória do nome de Deus e para a alegria de seu povo. Costumava levantar cedo, preparava seu coração da melhor maneira possível antes de ir à igreja. E durante estes momentos Piper considerava importante, antes de estar no púlpito, uma promessa na Palavra a qual seria a base para o próximo passo em “ASCAA”, é assim que ele chama seus cinco passos
Então ele confiava, confiava, confiava… e sem muito ao que dizer sobre confiança, é preciso mesmo se lançar diante de Deus. Em quarto agia na confiança de que Deus iria cumprir sua Palavra. Isto levava ao passo final em que agradecia a Deus ao fim da mensagem, expressava sua gratidão por Deus o ter sustentado e a verdade e os benefícios de sua Palavra, foram alcançados na medida e no poder do Seu Espírito. “Seriedade e alegria na pregação” é o próximo capítulo do tema Supremacia de Deus na pregação. Piper define a intensidade de sentimento como argumentos poderosos, “as marcas da seriedade da pregação". Afirma Piper que o trabalho da pregação deve ser feito em "absoluta sinceridade". Piper acreditava que o contentamento e a sobriedade devem estar entrelaçados na vida e na pregação de um pastor. Afirma o autor que contentamento na pregação é um ato de amor, ainda acrescenta que se o pastor for indiferente à sua alegria ministerial e abandonar sua alegria no ministério da Palavra estará lutando contra Deus e contra seu povo. Ele refere-se às palavras do apóstolo Pedro em que diz “que o pastor deve pastorear o rebanho de Deus que está aos seus cuidados, olhando por ele; não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer; não por ganância, mas desejosos de servir”(l Pe 5.2-3). Um pastor que não vive, de forma patente, alegre em Deus, não o glorifica. E também não é capaz de mostrar que Ele é glorioso. O contentamento na pregação é biblicamente essencial. Mas há diferença entre o gozo de na pregação e os sorrisos e as brincadeiras de tantos pastores. È necessário um senso de humor profundo e vigoroso. Piper orienta aos pregadores que cultive a seriedade e a alegria em sua pregação, empenhando-se em obter uma santidade de coração alegre, ou seja, não pode ser uma pessoa totalmente no púlpito e outra pessoa durante a semana com suas ovelhas. O autor também adverte: “Não se esforce para ser um determinado tipo de pregador. Empenhe-se por ser um tipo de pessoa!”
Tenha uma vida constante comunhão com Deus em oração, ainda leia livros escritos por aqueles que têm a Bíblia em seu sangue, conduza sua mente a respeito das circunstâncias comuns que acompanham a morte. Considere o ensinamento bíblico de grande responsabilidade, pois será julgado por falta da mesma. Considere o exemplo de Jesus. Não fique satisfeito apenas em guiar as pessoas as margens do rio da glória de Deus, mas como um diligente pastor leve as ovelhas até as águas tranqüilas e o campos verdejantes da glória de Deus.
Na segunda parte do livro em: “Como Tornar Deus Supremo Na Pregação - Orientações Do Ministério De Jonathan Edwards”, que como dissemos foi elaborada a partir das palestras de Jonathan Edwards. Piper descreve como é possível incluir e apresentar a soberania de Deus na pregação. Já é um grande início, para uma carreira promissora, escolher um grande teólogo e se dedicar, durante sua vida, a entender e dominar seu pensamento, e que em algum dia, ser capaz de "conversar" com este teólogo na condição de colega. O autor se tornou afeiçoado por Jonathan Edwards, diz ter nutrido sua alma com a beleza de Deus, renovou sua esperança e sua visão de ministério. Como grande admirador de Jonathan Edwards ainda passou a relatar mais da sua vida, aqui nesta obra, sobre ministério, exoneração do pastorado e morte.
No capítulo seguinte, em “Submeta-se a doce soberania - A teologia de Edwards”, diz Piper: “o que Jonathan Edwards pregava e como ele pregava eram extensões de sua visão de Deus”.
Através dos olhos de Piper podemos dizer sobre a teologia de Edwards em que “de tudo o que Deus faz é confirmar e manifestar a sua glória, ou seja, as ações de Deus nunca são motivadas para satisfazer suas deficiências”.
E por fim, no capítulo sete, torne Deus supremo que era a pregação de Edwards, Piper destaca o tipo de pregação que Deus usou para atear o Grande Avivamento na Nova Inglaterra. O diferencial da pregação de Edwards pode ser encontrado em dez características, em que Piper faz questão de destacar como valiosas para os nossos próprios dias, que serão como desafios relevantes, e não somente como fatos sobre Edwards. Estas características podem ser identificadas como:
“Desperte sentimentos santos”, ou seja, uma boa pregação tem como objetivo encorajar "emoções santas". “Ilumine a mente”, use do calor, do brilho, da intensidade de Deus para com as mentes dos ouvintes. “Sature com as Escrituras”, a verdadeira pregação começa com a Bíblia e termina na bíblia. “Empregue analogias e imagens”, faça com que as glórias celestiais e os tormentos do inferno pareçam reais em suas mentes, faça com que a igreja consiga entrar na história de Deus e o Espírito Santo os fará se tornar parte da história de Deus. “Use ameaça e advertências”, cada vez estão raros o seu devido uso na Igreja hoje em dia, a boa pregação inclui advertência. “Peça uma resposta”, a boa pregação apela ao povo para que responda à Palavra de Deus. “Sonde as operações do coração”, a pregação localiza, perfura e remove a infecção do pecado, mas para isso é preciso conhecer o coração do homem.
“Submeter-se ao Espírito Santo em oração”, é por este meio que o Espírito Santo auxilia o pregador. O Espírito Santo enche o coração do pregador com sentimentos e o coração enche a boca do pregador. Boas pregações vêm de bons momentos de orações particulares e com a igreja. Ainda destaca Piper que o pregador “Tenha um coração quebrantado e compassivo” é de um espírito quebrantado que Deus se aproxima, seja cativante. Diz o autor que um dos segredos do poder de Edwards no púlpito era “a ternura proveniente de seu coração quebrantado”, poder não é sinal de barulho, não é preciso ser desagradável para que os corações sejam quebrantados. Seja Intenso, isto quer dizer não rude, grosseiro. Fale como quem estar convencido de fato o que esta passando para igreja, e não como quem conta uma verdade como se estivesse contando uma mentira. Que o Deus de Jonathan Edwards abra os olhos de todos que já compartilham da grandeza Soberana de Deus, para que seja possível aproximar da grandeza de suas pregações.








CONCLUSÃO

Deus, Cristo e o Poder do Espírito Santo não podem ser coadjuvantes, mas os protagonistas de todo e qualquer cenário de nossas igrejas.
Pessoalmente será um desafio começar a fazer da pregação muito mais do que tenho feito, e deixar completamente algumas inclinações que não glorificam a Deus e nem o exaltam na beleza de Sua santidade como deve ser.
Tive dificuldades em compreender que tipo de pregação exatamente Piper está nos tentando fazer entender que não pode faltar nos púlpitos de nossas igrejas, faltou direcionamento mais especifico mais aplicável, pois ficou um pouco subjetivo.
Muitas mensagens moralistas e orientações seculares têm tomado espaço nos púlpitos, deixemos, pois para quem de fato compete, por outro lado a Igreja não deve se isentar de suas responsabilidades moral e social do seu povo, porém estes assuntos, até certo ponto na hora do púlpito, são irrelevantes, quando se trata de glorificar ao Senhor.
Que como pregadora da Palavra de Deus não fique ao pé da montanha, mas no alto da montanha. Para que a glória de Deus possa refletir o brilho da intensidade da Sua maravilhosa presença. E quando descer do alto da montanha para ao encontro do Seu povo, possa reproduzir a glória de Deus, a Cruz do Filho e o poder do Espírito. Pv 20.5 se fala de como é profundo o coração do homem, mas o homem inteligente o trará para fora. Que minha vida seja este homem inteligente usado por Deus para glorificar Seu nome.

Soli Deo Glória

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Igreja Reciclada - Veja

Pastor constroi igreja utilizando 10 mil garrafas pet - via UOL

Em tempos de "tanta baboseira" dita em nome deste "outro evangelho", o da prosperidade, um pastor simples dá um show nos megatemplos. Reciclagem e cuidado com o planeta, junto ao fato de não explorar suas ovelhas para realizar o sonho de Deus, o pr Jeremias mostrou que muitas vezes, para fazer o impossível, Deus nos usa. E não nossas carteiras, mas braços e suor, determinação e bomsenso são os agentes deste milagre. Seria então esse um bom exemplo da mordomia craistã, em relação a dinheiro, Planeta e trabalho? Parabéns pastor.
Segue matéria:

O pastor Jeremias Ferreira, líder da recém fundada Igreja Amigos de Jesus, contruiu um templo com mais de 10 mil garrafas pet em Tubarão, no Sul de Santa Catarina, informa o site do jornal “Diário Catarinense”.
Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

Segundo a publicação, o pastor contou com a ajuda dos fieis, donos de lanchonetes e bares e até crianças do bairro para juntar o material necessário. O templo ficou pronto em quatro meses.

A fundação, com custo de R$ 2.000, foi feita com pedras e cimento e a estrutura recebeu armações de madeira. A cobertura é de telhas de fibrocimento, mas revestidas na parte externa com as garrafas.

Se tivesse utilizado materiais convencionais, o pastor acredita que o investimento seria de R$ 10 mil.
Fonte: UOL
Ave Crux, Unica Spes!

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Tema: BUSCANDO O FUNDAMENTAL PARA DEIXAR AS DESNECESSÁRIO

Tema: BUSCANDO O FUNDAMENTAL PARA DEIXAR AS DESNECESSÁRIO

TEXTO DE Início: 2Co 11.3 “Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo.”


  • Início: 2Co 11.3 “Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo.”

    • INTRODUÇÃO:
    • 1-NASA – Gasto em um ano com milhões de dólares para projeção de uma caneta esferográfica, por causa da gravidade zero. Os russos resolveram o problema levando um lápis.
    • 2- Lutero no sec. XVI disse: ”Tenham cuidado! Satanás tem em mente deter-vos com as coisas desnecessárias, para impedir-vos de chegar às necessárias. ele consegue introduzir uma mão, então arromba e introduz todo o corpo, com um número infinito de perguntas inúteis, como tem feito até aqui, nas universidades” ( Lutero)
    • 3-Necessidades Humanas: Fisiológicas, Famílias, Filhos, comunidade são indispensáveis.
    • 4-Contexto Atual do mundo que vivemos hoje faz necessário às vezes mais do que necessitamos.

    • PROPOSTA: A Bíblia é simples e nos ensina a viver o fundamental. Isto quer dizer que a Bíblia nos ensina a viver o que Deus nos pede para que vivamos.
    • INTERROGAÇÃO: Do que mais precisamos para entendermos isso?
    • TRANSIÇÃO: Hoje, somente te dizer que precisaríamos apenas de cinco minutos

    • I – Cinco minutos no Nordeste Baiano, Nordeste em geral, algumas outras cidades ou na África.
    • 1- Vendo crianças e pessoas que só tem uma refeição por dia, então entenderíamos o que Deus quer dizer de Basta o fundamental, quando Ele nos proporciona mais de 3 refeições dia.
    • 2- Leitura Bíblica Lc 12.13-34

    • II – Cinco minutos no inferno nunca mais seríamos os mesmos
    • 1- Se pudéssemos passar só 5 Mn no inferno, Sermos puxados para aquela fornalha negra de fogo e de trevas eternas; subitamente sermos lançados dentro de um mundo de impiedade, maldições, ódio, luxúria, e corrupção; ouvirmos os gemidos dos que foram condenados eternamente, testemunharmos seu terror, seu ranger de dentes; juntarmos ombros aos obreiros da iniqüidade, aos estupradores, aos assassinos, aos tiranos e ditadores do mundo; sentirmos o que significa perdição, arrancados da presença de Deus, da verdade, do amor, da paz e de qualquer consolação; testemunharmos incríveis imagens e cenas, acima de todas atrocidades do mundo juntas; e pior do que tudo, ficarmos face a face com o sanguinário assassino do inferno, Satanás em pessoa; sentirmos um perverso e escravizante medo quando o pai da mentira tentar agarrar-lhe pela garganta, para você esganiçar uma confissão de que ele é o senhor de tudo; sairmos das portas do inferno com os gritos dos que foram amaldiçoados para a eternidade zunindo em nossos ouvidos, vozes dos ímpios de todos os tempos, berrando gritos de dor: “Estamos perdidos! Condenados! Condenados para sempre! Presos á escuridão e às torturas eternas!”
    • 2 - Como é que você poderia retornar à terra depois de sua breve visita ao inferno e ser o mesmo de novo? Você voltaria a negligenciar a Palavra de Deus, a Sua casa, o Seu amor? Você continuaria com sua egoísta busca por acumular coisas, amontoar ouro e prata, e orar por mais? Acho que dificilmente. Não - você e eu viveríamos cada hora como se fosse a última. Oh, como iríamos orar, trabalhar, e estudar, e vender em vez de comprar; iríamos jejuar, testemunhar e ajudar os pobres, e ficar constantemente pedindo a volta de Cristo.
    • 3- É verdade que o inferno foi preparado para o diabo e seus anjos. É também verdade que o cristão é salvo pela graça não merecida, e que a fé em Cristo é a segurança do crente. Além disso, o cristão não deve duvidar do poder que Cristo possui de salvar e guardar. Mas - há um gigantesco problema. Uma fé passiva, do tipo transitório que vem e vai, em alguns momentos e durante altos e baixos emocionais - este tipo de fé não vai salvar a alma. Só a fé salvadora - aquela nascida da profunda contrição pelo pecado; nascida de um coração que repudiou a iniqüidade e os pecados que assediam; de um coração total e diariamente submisso ao senhorio de Cristo - só este tipo de fé garante a graça.

    • III – Cinco minutos no Céu, nunca mais seríamos os mesmos.
    • 1- Se pudéssemos passar só uns minutos no céu, nunca mais iríamos competir numa carreira carnal. Se pudéssemos experimentar um breve caminhar por dentro dos portões daquela cidade de Deus; beber da paz, da beleza, dos esplendores celestiais; ouvir o grande coro de anjos e serafins entoando as glórias do Senhor; misturar-nos aos patriarcas, aos mártires, aos apóstolos; se pudéssemos nos sentar junto às águas cristalinas, desfrutar do radiante brilho da luz santa de Deus; maravilhar-nos pelas resplandecentes luzes, pelas árvores, flores e plantas perfeitas desconhecidas pelo olho humano; e mais do que tudo, termos um vislumbre, só um, da face do ressurreto Cordeiro de Deus; sentir a glória e o calor, e o sentimento de segurança que se irradiam da Sua presença; finalmente contemplar Aquele que era desde o princípio, nosso santo, santo, Deus Onipotente!
    • 2- Você voltaria à terra e entraria outra vez na corrida fatal? Nunca. Você e eu viveríamos somente para o Senhor, rejeitando o mundo e todos seus prazeres e coisas carnais. Iríamos disputar a Sua corrida! Não mais nos desviaríamos nos esfriaríamos, ou ficaríamos divididos ao servir ao Senhor.

    • IV – Não teremos cinco mn no inferno ou no Céu, talvez no nordeste ou na áfrica?
    • 1- Porque basta cinco ou pouco mais de alguns minutos com Espírito Santo, Com a ajuda de Deus - de uma vez por todas abandonaremos essa a corrida fatal da carnalidade e da inclinação para as coisas do mundo! Saia da corrida da competição! Não vamos mais disputar carreiras movidas à carne, egoismos, para agradar aos homens.
    • 2- O Senhor é meu Pastor e nada nos faltará!! Só sentiremos falta daquilo que é desnecessário para Deus cumprir em nós, mas tudo aquilo que for necessário em Deus para cumprir em nós Ele fará. E a bíblia diz até o que não pedimos e nem imaginamos. Deus não nos deixou órfãos, desejo mais do que simplesmente abandonar vínculos mentais com coisas, casas, carros, terras, propriedades. Deseje que o poder e a graça freiem os seus apetites, para deixar de lado todo o lixo, para comprar o que não necessita, construir e adquirir coisas desnecessárias, e ter os seus olhos tão concentrados em Cristo e na eternidade, que as coisas deste mundo percam toda força que têm sobre nós, e o materialismo deixe de ser o nosso senhor.

    • CONCLUSÃO:
    • Amado - se esta mensagem lhe choca, se ela lhe irrita ou perturba o mínimo que seja - talvez você deva fazer o que tenho feito ultimamente.
    • Feche-se com o Senhor, dia após dia, e peça que o Espírito Santo lance o holofote santo de Deus sobre a sua alma. Seja mortalmente honesto com Deus.
    • Peça que Ele revele seu pecado. Ganhe fome por Deus, e convencimento da parte do Espírito. Como eu, você logo descobrirá quanto tempo tem desperdiçado, quantos desejos e vontades tolos estão lhe enfraquecendo - e você prostrará o rosto diante do Espírito Santo, e confessará a frieza e o vazio do seu coração.
    • E se fizer isso com honestidade no coração, você começará a agradecer a Deus por Ele ficar afligindo sua consciência, fazendo-o se movimentar para disputar uma corrida diferente. Você agradecerá a Deus por mensagens como esta.
    • Você quer parar de correr e de ficar esmurrando o ar? Então abandone a corrida fatal. Determine que sua face e seu coração busquem ao Senhor como nunca fizeram antes.
    • Fundamental é fazer o que Deus quer. Desnecessário é fazer o que a gente acha que precisa ser feito. “Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo.” 2Co 11.3

    • ORAÇÃO COM A IGREJA:
    • Santos de Deus: a trombeta de Deus está prestes a soar. O nosso Senhor está chegando em nuvens de glória para levar Sua noiva. Uma noiva sem mácula ou ruga. Uma noiva que foi purificada da ambição, do orgulho e dos desejos mundanos. Será que vamos gastar nossas horas finais sobre a terra pondo dinheiro em sacos furados? Não, obrigado! Estamos só de passagem. Não quero mais raízes para me prender. Agradeço a Deus pelas coisas boas que me deu, minha família, uma boa casa, transporte moderno - mas agora a cada dia preparo meu coração para sair de tudo isto, para ser abraçado pelos braços do Salvador! Não quero ser um fanático ou fazer qualquer tipo de voto de pobreza, ou negligenciar minha família e o seu futuro. Simplesmente quero ficar liberto de qualquer cobiça.


quarta-feira, 5 de agosto de 2009

AINDA APENAS UM RASCUNHO

OUVIR NESTA TARDE UMA CANÇAO QUE ME DESPERTOU PARA ADORAR AO SENHOR,
PARA PRESTAR ATENÇAO NO QUE DEUS ME FALAVA NESTA TARDE, ENTÃO ENQUANTO ESPERAVA ALGO NA RUA COMECEI A ESCREVER COM QUE ME LEMBREI DO QUE DIZ A PALAVRA DO SENHOR EM:

(Salmos 30:5) - Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.
(Neemias 8:10) - Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força.
Lm 3. 21 Disto me recordarei na minha mente; por isso esperarei. 22 As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; 23 Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. 24 A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto esperarei nele. 25 Bom é o SENHOR para os que esperam por ele, para a alma que o busca. 26 Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR. 27 Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade. 28 Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto Deus o pôs sobre ele. 29 Ponha a sua boca no pó; talvez ainda haja esperança. 30 Dê a sua face ao que o fere; farte-se de afronta. 31 Pois o Senhor não rejeitará para sempre. 32 Pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão, segundo a grandeza das suas misericórdias. 33 Porque não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens.

(Habacuque 2:3) - Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. V.4 Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.

ANTES DE TUDO MAIS QUERO ADORAR A DEUS

(I Samuel 1:19) - E levantaram-se de madrugada, (antes do sol nascer) e adoraram perante o SENHOR, e voltaram, e chegaram à sua casa, em Ramá, e Elcana conheceu a Ana sua mulher, e o SENHOR se lembrou dela.
I Sm 2. 1 ENTÃO orou Ana, e disse: O meu coração exulta ao SENHOR, o meu poder está exaltado no SENHOR; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. 2 Não há santo como o SENHOR; porque não há outro fora de ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus. 3 Não multipliqueis palavras de altivez, nem saiam coisas arrogantes da vossa boca; porque o SENHOR é o Deus de conhecimento, e por ele são as obras pesadas na balança. 4 O arco dos fortes foi quebrado, e os que tropeçavam foram cingidos de força. 5 Os fartos se alugaram por pão, e cessaram os famintos; até a estéril deu à luz sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraqueceu. 6 O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela. 7 O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. 8 Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. 9 Os pés dos seus santos guardará, porém os ímpios ficarão mudos nas trevas; porque o homem não prevalecerá pela força.
10 Os que contendem com o SENHOR serão quebrantados, desde os céus trovejará sobre eles; o SENHOR julgará as extremidades da terra; e dará força ao seu rei, e exaltará o poder do seu ungido. 11 Então Elcana foi a Ramá, à sua casa; porém o menino ficou servindo ao SENHOR, perante o sacerdote Eli. 18 Porém Samuel ministrava perante o SENHOR, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho. 19 E sua mãe lhe fazia uma túnica pequena, e de ano em ano lha trazia, quando com seu marido subia para oferecer o sacrifício anual. 20 E Eli abençoava a Elcana e a sua mulher, e dizia: O SENHOR te dê descendência desta mulher, pela petição que fez ao SENHOR. E voltavam para o seu lugar. 21 Visitou, pois, o SENHOR a Ana, que concebeu, e deu à luz três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR.



ANTES DO SOL NASCER, ANTES DA MANHÃ CHEGAR
O CHORO PODE DURAR UMA NOITE INTEIRA MAS A ALEGRIA VEM PELA MANHA…
ESSE É DOS TEMPOS QUE TODOS NÓS VIVEMOS ALGUM DIA DE NOSSAS VIDAS. VIVEMOS MUITAS VEZES.
QUANTO MELHOR FIZERMOS NESSE ANTES DO SOL NASCER DEUS SERÁ GLORIFICADO E NA ALEGRIA DE DEUS ESTÁ A NOSSA FORÇA NOSSA SORTE, A NOSSA SAIDA. DEUS MUDA A NOSSA SORTE QUENDO ELE ENCONTRA MOTIVO PARA SORRIR POR NÓS E EM NÓS.

EXEMPLOS COMO:

JÓ ORA PELOS SEUS AMIGOS QUE VIRARAM ADVERSARIOS
A ORAÇÃO DE SALOMÃO
ANA NO TEMPLO
JOSAFÁ NÃO PELEJA, NÃO LUTA
ABRAAO E ISAQUE
ORAÇÃO DO REI EZEQUIAS : 1 NAQUELES dias adoeceu Ezequias mortalmente; e o profeta Isaías, filho de Amós, veio a ele e lhe disse: Assim diz o SENHOR: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás. 2 Então virou o rosto para a parede, e orou ao SENHOR, dizendo: 3 Ah, SENHOR! Suplico-te lembrar de que andei diante de ti em verdade, com o coração perfeito, e fiz o que era bom aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo. 4 Sucedeu, pois, que, não havendo Isaías ainda saído do meio do pátio, veio a ele a palavra do SENHOR dizendo: 5 Volta, e dize a Ezequias, capitão do meu povo: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do SENHOR. 6 E acrescentarei aos teus dias quinze anos, e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cidade por amor de mim, e por amor de Davi, meu servo.

O QUE LEVOU Deus MUDAR A SORTE DE EZEQUIAS COM UMA ORAÇÃO TAO SIMPLES?

COMO ESTER E O REI ASSUERO

SÃO MUITOS OS EXEMPLOS NEM TODOS PODERAM SER CONTADOS, MAS O QUE HÁ EM COMUM EM TODOS ELES É QUE TODOS ALEGRARAM O CORAÇÃO DO REI
O REI SE ALEGROU,

A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA…

FORÇA PRA SUPERAR O QUE NÃO VEIO PRA SUPERAR O ANTES DO SOL NASCER, O MELHOR DE DEUS ESTAR SEMPRE POR VIM, COMECE A COMEMORAR, ANTES DO SOL NASCER

QUERO, ANTES QUE O MUNDO ACORDE E TE NEGUE, ANTES QUE EU ENFRAQUEÇA A PONTO DE NÃO LEVANTAR MAIS

ANTES QUE O MUNDO ME VENÇA
ANTES QUE A BENÇAO CHEGUE EU DEVO ME COMPORTAR COMO ALGUEM QUE JÁ RECEBEU


AGORA A LETRA DA MUSICA OUVIDA NESTA TARDE

Antes do sol nascer
Quero estar em tua presença

Quero falar de mim
Reconhecer meus erros e pedir perdão

Antes do sol nascer
Quero lembrar do teu sacrifício
Do amor que o fez morrer
Do amor que o faz viver e reinar

Quero me ajoelhar
Antes do sol nascer
Quero me declarar
Antes do sol nascer
Antes que o mundo acorde
E tente negar você
Quero te adorar...

Antes de tudo quero adorar Senhor

ANTES DO SOL NASCER PODE SER TAMBEM UMA HORA DAS 24 HORAS QUE DEUS TEM NOS ESPERADO PARA O ADORAR E O BUSCAR

Fiz agora meio rápido, ainda vou colocar em uma ordem mãos lógica de assunto

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Procura-se Pecadores

PREGAÇÃO: PROCURA-SE PECADORES

INTRODUÇÃO:

Pecadores é o estado e a condição pra sermos procurados por Deus
Sermos pecadores não quer dizer que nos dá o direito de viver pecando para Deus nos buscar
No Eden recebemos o registro de “Pecadores”( Melhor explicado no final)
No Calvário em Cristo recebemos o registro de “Aposentados” ( Melhor explicado no final)

Proposta: Jesus busca pecadores para Salvar, e nós agora N’ Ele não muda muito.
Pergunta: Por que ainda precisamos ser procurados por Jesus?
Transição: Todos nós somos dependentes dessa busca de Deus.



I- Por que como pecadores somos bons fariseus as vezes


1. Pensamos que por sermos descendentes de Cristo, co-herdeiros de Cristo temos aprovação sempre. Nos julgamos sempre aceitos por Deus.

2. E ainda pior nos julgamos que por obedecê-lo ou fazer algumas de suas obras achamos ter o direito de receber o que nós pedirmos instantaneamente.

3. E negligenciamos o mais importante

4. Leitura Bíblica Mt 23.30


II- Por que como Pecadores somos publicanos


1. Além da Cruz não há nada a ser feito

2. Cobramos até dos outros como de nós mesmos mais do que já foi estipulado

3. Colocamos um jugo de costumes, doutrinas humanas além do permitido até na lei, como os judeus faziam para os gentios.


III- Como Pecadores somos Pecadores procurados por Jesus


1. Pecadores são aqueles que exercem atividades pecaminosas.

2. Quando cristo nos resgatou desta função nos aposentou da função de pecar.

3. Nos libertou da obrigação que a carne tinha para pecar, porque mortos não poderíamos fazer outra coisa se não nos mantermos mortos.

4. A carne continua a necessitar de pecar pois a natureza a especialidade a função da carne caída é pecar contra Deus.

5. Porem em Cristo agora como diz Sua Palavra tudo se fez novo, a obrigatoriedade do pecado foi destruída por Cristo. Deu-nos uma condição de aposentados, livres da obrigação de pecar como um padeiro aposentado é livre da obrigação de faze pão para sobreviver, se ela quiser e fizer ainda pão é porque ele esta desejando fazer de forma livre, assim nós pecadores, somos livre para não cometer pecados. E podemos sempre lutar contra isso porque cristo nos garantiu essa vitória contra o pecado e o mundo, a nossa Fé.

6. Leitura Bíblica pra reflexão: Rm 5.20,21; 6.1,14,17;7.25

7. Pecadores procurados por Jesus porque continuamos a necessitar de arrependimento pessoas, de evangelização, de sermos buscados por Jesus, de sermos recebidos por Jesus e de que Jesus se alegre conosco como ele sempre se alegra por um pecador que se arrepende.

8. A diferença pra Deus vai ser em nosso arrependimento sincero pra com Ele e para com os outros, se somos como fariseus ou como publicanos devemos ser como aquele que orou assim:

Lc.18.
10 Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
11 O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.
12 Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
13 O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.




IV- Conclusão:

1. “ Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo”
2. “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! “
3. Ai estará toda a diferença daquele que serve e daquele que não serve. Se para Deus o religioso não se curva em humildade? mais importa um não religioso que se arrependa.
4. Não percamos da mente que Cristo veio para os doentes pois os “sãos” não necessitam Dele.
5. Não percamos da mente que Cristo sempre busca a ovelha ferida
6. O numero de Deus sempre será o numero UM, um pecador que se arrepende. Seja o não liberto ou aquele que já esta livre mas que as vezes erra.